domingo, 6 de março de 2011

Soft image.

O dia corre devagar. Entretenho a mente ocupando-me com funções vulgares e obrigatórias do dia-a-dia, mas assaltas-me o pensamento quando menos o espero. Sinto ondas de calor a invadirem-me o peito, que se distendem progressivamente por todo o meu corpo mas sacudo-as rapidamente na vã tentativa de me manter sóbria no que tento desempenhar.
A tarde passa calma, passeio-me para cima e para baixo no meu palácio com roupas leves que me provocam um arrepio ligeiro sempre que me cruzo com a brisa do exterior. Recebo notícias tuas e transporto para imagem tudo aquilo que descreves. Acabo por optar por um banho de espuma, entro e tento relaxar de olhos fechados e pensamento sereno. Escuto o início de uma Primavera que chega, misturada com o som de água perfumada em movimentos calmos. Passo as mãos pelo corpo e pelo rosto e sinto a ansiedade calmamente a ir embora, mas quando está prestes a desaparecer escuto uma batida decidida na porta.
Fico irritada, todo o esforço para manter o meu pensamento longe de ti cai por terra enquanto enrolo uma toalha curta no corpo e a prendo no peito. Caminho em bicos de pé, como se estivesse calçada com um tacão alto, em passos curtos e rápidos para a porta e pergunto ainda irritada: "Quem é?" - mas ninguém me responde.
Intrigada, espreito pelo óculo da porta e o que vejo deixa-me subitamente deslumbrada. Não consigo ver quem as segura, mas na minha frente vejo um bouquet de rosas negras com um laço cor de sangue acetinado revestido a renda preta. Abro a porta do meu palácio com precaução, tentando ver quem está por detrás daquelas rosas únicas para mim... és tu.
Ofereces-me um sorriso suave e entras de passo decidido, enquanto continuo estupefacta a olhar-te, com a batida cardíaca a ocultar-me a audição exterior. Estendes o bouquet para mim assim que fecho a porta e me sussurras no ouvido enquanto me enlaças a cintura e me levantas do chão: "Surpresa Alice..." - Senti-me quase a desfalecer ao ouvir a tua voz e ao sentir o teu cheiro. O meu coração dispara uma vez mais devido ao teu abraço apertado que me desperta para outros locais. Tenho o cuidado de colocar o bouquet na consola e pego no teu rosto com as duas mãos, ainda molhadas com réstias de espuma perfumada e respondo-te de forma quase inaudível: "Tive saudades tuas..."

2 comentários:

Semi-Desconhecido disse...

Faltou o bouquet, é verdade (my bad). Mas tenho uma rectificação: Não é "tive saudades", mas sim TENHO Saudades...

Mr. Mystery disse...

Existe sempre associado a essa palavra de essência muito nossa, o sabor das saudades que se nos estampa na pele, mas sobretudo no pensamento. Bjo

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Wonderland Alice. Design by Exotic Mommie. Provided By Free Blogger Templates | Freethemes4all.com
Free Website templatesfreethemes4all.comLast NewsFree CMS TemplatesFree CSS TemplatesFree Soccer VideosFree Wordpress ThemesFree Web Templates